As Escrituras Sagradas

Publicado em: 11 de abril de 2019

Categorias: Estudos de Quinta Feira

Visualizações: 126

Tags: ,

Parte 2 – A Bíblia Católica x A Bíblia Protestante e a inspiração divina

Image by mnplatypus on Pixabay

A Bíblia que os protestantes utilizam é diferente da Bíblia Católica e dos Testemunhas de Jeová. A católica conta com 73 livros (46 do AT e 27 do NT), já a protestante possuí 66 livros (39 do AT e 27 do NT). Estes 7 livros que a bíblia católica possui a mais são chamados de “Deuterocanônicos” ou “Apócrifos”. Estes livros não são aceitos por diversos motivos, dentre os quais vale destacar: possui ensinos heréticos e em alguns pontos são conflitantes com os demais livros da bíblia.

A Bíblia é uma unidade e tudo nela é perfeita, não há espaço para distorções, manipulações, contradições etc. Por isso, aquilo que destoa disso, não pode ser considerado parte dela. Apenas para ilustrar, há uma passagem em Tobias que fala em fritar entranhas de peixe para que a fumaça afaste demônios (Tb 6.5-9). Jesus deixa claro que a expulsão de demônios é por meio de jejum e oração (Mt 17:21).

INSPIRAÇÃO BÍBLICA

Infelizmente é comum ouvir de pessoas descrentes questionamentos acerca da Bíblia. Dizem que não dá para saber se o que está escrito foi dito realmente por Deus, como confiar nela se foi escrita por homens e estes são falhos, que ela foi escrita para uma outra época etc. Todas estas desculpas, além de serem fracas nas suas justificativas mostram apenas o desejo da pessoa em minimizar aquilo que pode apresentar suas falhas, pecados e erros. É mais fácil dizer que a Bíblia está errada e continuar nos mesmos caminhos do que aceitar que está em pecado, pedir perdão e mudar de atitude.

Porém a própria Bíblia testifica a sua inspiração e a faz como um todo, ou seja, TODA a Bíblia é inspirada por Deus, não apenas parte dela (Êx 17.14; 2Tm 3.16). Por isso que no meio reformado não se aceita os livros Apócrifos, uma vez que não são inspirados.