Viu Deus que era muito bom

Publicado em: 28 de dezembro de 2019

Categorias: Estudos de Quinta Feira

Visualizações: 356

Tags: ,

Viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom. Houve tarde e manhã, o sexto dia.

Gênesis 1:31

Deus, em seis dias, criou tudo quanto desejou criar: céus, terras, mares, luzeiros, plantas, animais e o homem. Tudo o que foi feito conforme sua vontade e era muito bom. No sétimo dia ele descansou, não que Ele se canse, mas Ele utilizou esse dia para contemplar a sua criação e proveu ao homem um modelo de ciclo de trabalho e descanso.

Deus não fez sua criação de alguma matéria pré-existente, muito menos utilizou parte da sua essência para fazer o que existe, ou seja, Deus e o universo são da mesma natureza e, portanto, são a mesma coisa. Deus criou tudo, átomos, partículas, leis da física, processos químicos e biológicos do nada (Jo 1.3, Hb 11.3, 2Pe 3.5).

Lendo o relato da criação em Gênesis 1.3-31 podemos observar a grandiosidade de Deus e a perfeição da sua obra. Ela foi realizada de forma organizada e estruturada. Os seis dias da criação podem ser separados em duas tríades de dias (dois conjuntos de três dias): na primeira tríade temos a criação da Luz (dia 1), do céu e água (dia 2) e da terra e vegetação (dia 3). Na segunda tríade temos a criação dos luzeiros (dia 4), dos peixes e aves (dia 5) e, por fim, dos animais e os seres humanos (dia 6).

Repare que na primeira tríade Deus da forma à terra separando luz da escuridão (dia e noite), cria os mares e separa a terra seca do mar. Na segunda temos Deus preenchendo esses campos que até o momento estavam vazios.

Veja, também, que em cada dia existe um padrão: uma declaração (“disse Deus”); uma ordem (“haja”); um relato (“e assim se fez”); uma avaliação (“isso era bom”) e uma estrutura cronológica (ex. “primeiro dia”).

Com esse padrão observamos a onipotência do nosso Criador, uma vez que tudo foi criado pelo seu ato declarativo (“Disse Deus”), Ele determinou (“haja”) e as coisas aconteceram, nada que Ele desejou criar deixou de ser feito (“e assim se fez”) e, por fim, não apenas sua vontade foi feita, mas tudo o que foi feito era muito bom.

Louvado seja Deus pela grandiosidade do seu poder e pelas coisas maravilhosas que criou.