Volte a Sonhar com Dias Melhores

Publicado em: 9 de setembro de 2021

Categorias: Destaques, Devocionais

Visualizações: 67

Tags: , , ,

Texto Base: Salmo 126.1-6

O salmo 126 é um dos favoritos dos cânticos de romagem. É possível enxergar nele a alegria exultante do povo de Deus. Não sabemos quem é o autor deste cântico de romagem. O contexto do salmo é o retorno do povo hebreu do cativeiro babilônico (587-516 a.C.). Este lindo salmo fala de passado, presente e futuro. Fala do agir de Deus na vida de um povo que voltou a sonhar com dias melhores.

Primeiramente, o salmista fala de um passado cheio de alegria (vv.1-3). Você já ficou boquiaberto com uma boa notícia? Mas ficou tão boquiaberto que sua reação foi de incredulidade? De tão boa a notícia você disse: “me belisca que não estou acreditando?”. Talvez tenha dito: “Não é possível, estou sonhando!”.  A maravilhosa notícia é que Deus usou a Ciro, rei da Pérsia, para libertar o povo hebreu (Is 45.1). Os hebreus poderiam finalmente voltar para casa!

O salmo 126 diz que eles ficaram como quem sonha (v.1), que a boca se encheu de riso e a língua de júbilo (v.2) e que as outras nações ficaram espantadas ao verem o poder e amor de nosso Deus que libertou os hebreus do cativeiro babilônico, enquanto eles ainda continuariam cativos (v.3). Este é um belo testemunho que mostra o quando o nosso Deus é diferente dos outros deuses.

A Bíblia nos fala que quando Deus age, nada pode o impedir (Is 43.13). Você já ficou como quem sonha? Geralmente ficamos assim quando miraculosamente somos curados de uma grave enfermidade. Quando portas de trabalho se abrem. Quando o casamento é restaurado. Quando Deus envia a chuva depois de um período longo de seca. Quando a filha se forma na universidade. Quando o filho é liberto das drogas. Depois de falar de um passado cheio de alegria, o salmista fala de um futuro cheio de esperança (vv.4-6).

A comunidade que voltou do exílio da Babilônia estava passando por dificuldades novamente. Eles voltaram do exílio, mas o desânimo tomou conta do coração do povo. A restauração foi apenas parcial. Havia judeus que se envolveram com mulheres de outros povos, outros praticaram a idolatria, outros esfriaram na fé (veja os livros de Neemias, Esdras, Malaquias e Zacarias). Os cativos que retornaram ainda tinham que pagar impostos aos persas, não podiam ter um rei, e eram subjugados. Havia ainda aqueles que se preocupavam mais com suas casas do que com o templo (veja o livro de Ageu). 

O salmista crê que Deus pode restaurar a sorte de Israel. Para isso usa duas imagens. A primeira é a das torrentes do Neguebe (v.4). O Neguebe fica na parte sul de Israel. Durante a maior parte do tempo a região é seca. Quando Deus derrama chuva, as águas descem as montanhas e inundam os ribeiros secos do Neguebe formando volumosa água. O salmista quer nos mostrar que Deus era capaz de reverter a sorte de seu povo transformando desertos em mananciais e derramando volumosas bênçãos.

A segunda imagem é a da semente (vv.5-6). O salmista usa a figura do lavrador que enquanto semeava chorava, clamando a Deus misericórdia, crendo que o SENHOR haveria de multiplicar os grãos, provendo o sustento. Você também já viveu a experiência de trabalhar e chorar simultaneamente? Lágrimas já escorreram de seus olhos porque enquanto trabalhava, as coisas no lar, no casamento, na saúde, nas finanças, no relacionamento com os filhos, entre outras, não iam bem?

Se você tem semeando com lágrimas, creia que Jesus pode restaurar a sua sorte, creia que Ele pode fazer com que você volte com júbilo trazendo os feixes. Creia que Jesus é capaz de mudar o seu presente. Lembre-se que nunca é tarde para voltar a sonhar com dias melhores.