Das Profundezas à Esperança

Publicado em: 6 de novembro de 2021

Categorias: Destaques, Devocionais

Visualizações: 63

Tags: ,

Leitura Recomendada: Salmo 130.1-8

Sempre gostei de filmes. Uma das cenas que mais me chamam a atenção é quando alguém desesperado, tenta escapar da areia movediça. Um dos filmes de Indiana Jones retrata tal cena. O desespero é tanto que quanto mais a personagem se mexe, mais afunda. Na luta pela sobrevivência, é necessário que alguém viesse em socorro da pessoa que está afundando na areia movediça.

O autor do décimo primeiro salmo de romagem parecia estar afundando numa verdadeira areia movediça. O Salmo 130 é um salmo penitencial, assim como são os salmos 6, 32, 51, 38, 102, 130 e 143. Não sabemos o contexto nem a autoria. O salmista havia cometido um pecado que o levava à profunda tristeza e dor. No meio do desespero, o salmista toma algumas atitudes importantes.

Em primeiro lugar, ele clama pela misericórdia de Deus (vv.1-4). Observe que no v.1, ele usa a imagem de uma pessoa se afogando, onde é impossível sair sozinho. É a metáfora das águas, metáfora esta usada também nos seguintes textos: Sl 69.1-2; 14; 124.5; Jn 2.5. Não é possível perder a salvação, mas é possível perder a alegria dela quando fazemos algo que desagrada ao SENHOR. O salmo 130 nos mostra que o pecado tornou-se um fardo para o salmista.

A segunda imagem que o salmista usa é a do tribunal (v.3). Teria o Eterno todo o direito de aniquilar o salmista, mas não é isso que faz. Sabia o salmista que Deus é rico em perdoar. A lição que fica aqui é que Deus prefere perdoar o pecador arrependido do que puni-lo. Na segunda parte do salmo vemos uma fé vivificada na esperança em Deus (vv.5-8). O salmista sai da imagem do tribunal e vai para a imagem dos muros da cidade (vv.5-6).

Depois de usar a metáfora da água e do tribunal, o autor do salmo 130 usa a metáfora do vigia.  O salmista aguardava o perdão de Deus assim como os guardas da cidade esperavam ansiosamente pelo romper da manhã. Ser vigia da cidade não era tarefa fácil. O vigia que guardava a cidade à noite enfrentava uma longa jornada de horas de cansaço. Ele olhava ansiosamente para o céu aguardando o nascer do sol.

Por fim, ao saber que foi perdoado por Deus, o salmista conclama o povo de Deus a buscar o arrependimento (vv.7-8). Termino este texto com duas considerações importantes. Primeiro, o anseio pelo perdão divino é algo que devemos buscar intensamente. Segundo, somente a pessoa regenerada por Deus, sente tristeza pelo pecado e busca a restauração da comunhão com o Eterno.

Tome a atitude de olhar para o alto e buscar a Cristo que é o Sol da Justiça. Espere em Deus que é o único capaz de nos redimir de todas as iniquidades (v.8).