O Batismo com o Espírito Santo – Parte 2

Publicado em: 27 de abril de 2017

Categorias: Estudos de Quinta Feira

Visualizações: 1320

Tags:

Batismo 2

Na ultima semana vimos que o movimento Pentecostal acredita que o batismo com o Espírito Santo é para pessoas já salvas, sendo uma segunda bênção e que deveria vir acompanhado pelo “Falar em Línguas”. Porém hoje veremos alguns argumentos Bíblicos que não dão bases para esta ideia.

A VISÃO DAS IGREJAS TRADICIONAIS

O Pentecostes (festa das semanas) era uma festa judaica realizada no fim da colheita, cinquenta dias após a oferta das primícias (primeiro molho da colheita do trigo). O Pentecostes não constitui padrão, pelo fato de ser o derramamento inicial do Espírito Santo. Seria padrão se o Espírito Santo já tivesse se derramado sobre os discípulos de JESUS.  O que acontece em Atos 2 é o cumprimento da promessa.

  • O profeta Joel já havia predito este derramamento (Jl 2.28-32).
  • O profeta Ezequiel também fala sobre o Espírito Santo (Ez 37.14; 36.24-26).
  • João Batista também falou sobre esta promessa (Lc 3.16).
  • O próprio Cristo falou sobre a vinda do Espírito Santo (Lc 24.49; At 1.5 e 8).

Em outras palavras, o Espírito Santo foi derramado no dia do Pentecostes. Os discípulos de Jesus ali foram batizados com o Espírito Santo (At 2.17-18). Três promessas se cumpriram no Pentecostes:

A. Batismo com o Espírito Santo (At 2.17-18);

B. Derramamento de Poder (Lc 24.49; At 1.8).

C. Capacitação do Espírito Santo para a obra a qual Deus nos chama (Mt 10.16-20).

O BATISMO COM O ESPÍRITO SANTO DEVE VIR ACOMPANHADO DO FALAR EM LÍNGUAS? 

Apesar de em At 2.1-11 e At 10.46 os discípulos de Jesus falarem em outras línguas, vemos dentro da Palavra de Deus que isto não é norma. Observamos que o falar em línguas não é padrão. Vejamos os seguintes textos:

  • At 2.41: três mil nada se diz a respeito que falaram em línguas como evidência do batismo com o Espírito Santo.
  • At 4.4: dois mil que se agregaram à igreja sem se mencionar o falar em línguas como evidência do batismo com o Espírito Santo.
  • At 6.7: o número de discípulos se multiplicava sem necessariamente se falar em línguas como evidência do batismo com o Espírito Santo.
  • At 9.17-18: Paulo se creu, se converteu e ficou cheio do Espírito Santo sem se mencionar o falar em línguas.
  • At 16.14-15: Lídia e os de sua casa se converteram sem se mencionar o falar em línguas como evidência do batismo com o Espírito Santo.
  • At 16.32 e 33: o carcereiro e os de sua casa se converteram sem haver sinal de falar em línguas.

Portanto, podemos afirmas que há mais evidências de pessoas que se converteram recebendo o Espírito Santo sem o acompanhamento de nenhum sinal extraordinário. O Espírito Santo é recebido quando se crê em Jesus (AT 11.7; GL 3.2; EF 1.13). Não existe nenhum texto bíblico que afirme que o batismo com o espírito santo deve vir necessariamente acompanhado do falar em línguas.