Pokemon Go E O Cristão

Publicado em: 9 de agosto de 2016

Categorias: Devocionais

Visualizações: 2772

Tags:

A febre Pokemon Go chegou ao Brasil e muitos jovens, adolescentes e até crianças têm me perguntado: E aí, o cristão pode ou não jogar este jogo?

pokemon go

Quero esclarecer aqui um pouco de minha opinião pessoal quanto a este assunto e definir algumas bases bíblicas que precisamos levar em consideração.

Em primeiro lugar, a questão do jogo ser uma manipulação diabólica, onde os monstros são na verdade demônios… enfim, não podemos satanizar todas as coisas e colocar no diabo a culpa que cabe a nós. É preciso saber que a história que dá base ao pokemon nasceu no Japão, ou seja, um país com uma cultura e cosmovisão (visão de mundo) completamente diferente da nossa. Na sua maioria, os japoneses não são cristãos e não veem, da mesma forma que a gente, assuntos básicos como: criação, pecado, Deus, redenção, Jesus, satanás, demônios, etc. Logo, está aí uma motivação para orar por este país e se envolver de alguma forma com a evangelização do mesmo. Pokemon é uma palavra derivada da contração da expressão “Pocket Monster”, que significa “monstro de bolso” e não demônios como sugerem alguns exorcistas de celular. Basicamente, os seres humanos que criaram a história, que hoje se tornou esse jogo, são como eu e você, pecadores que precisam de redenção e um encontro real com Cristo. Eles procuram numa história “legal” a vida de aventura que não podem viver na realidade. Não são necessariamente pessoas que venderam sua alma ao diabo. É claro que não desconsidero o fato de que Satanás pode usar e usa qualquer coisa para nos afastar do nosso real propósito aqui na terra. Logo, não precisamos sair exorcizando os locais em que os Pokemons, virtualmente, aparecem. Também não é preciso quebrar celulares com o jogo, ou sair por aí acusando as pessoas que jogam de endemoniados ou coisa do tipo. Mas, então, é pecado ou não jogar Pokemon Go?

Leia atentamente esse versículo da Palavra de Deus:

Efésios 5.15-17

15 ​Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, e sim como sábios, 16 ​remindo o tempo, porque os dias são maus. 17 ​Por esta razão, não vos torneis insensatos, mas procurai compreender qual a vontade do Senhor.

tempo preciosoO que me preocupa não é o fato de jovens cristãos, ao jogarem Pokemon Go, serem possuídos por demônios, pois bem sabemos que quem é nascido do Espírito não possuí em seu coração lugar para outra entidade que não seja o Espírito. Mas o Espírito milita contra a carne diariamente, e a “carne” são nossos desejos pecaminosos, permanentes mesmo após a regeneração, e que nos separa das bençãos de Deus nesta vida. O que me preocupa, então, é ver jovens cristãos andando “literalmente” como néscios, correndo de um lado para outro atrás de monstrinhos virtuais. O que me preocupa é como estes cristãos tem usado seu tempo, uma vez que Deus nos alerta que ele é curto e precioso para nós. O que me preocupa é como estas pessoas procuram mais por pokemons do que compreender a vontade do Senhor. É muito difícil separar o “jogar moderadamente” para descontrair, do “viver em função” de algo que não acrescenta nada a nossa própria vida e na dos outros que estão ao nosso redor indo em direção ao inferno sem ouvir, de nós, a Palavra de Deus. Esse princípio não vale apenas para “pokemon go”, mas para qualquer coisa que possa gastar nosso tempo curto e precioso mais do que a busca por Deus.

Mas leia este outro texto:

Mateus 6.24; Lucas 16.13

​Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de aborrecer-se de um e amar ao outro, ou se devotará a um e desprezará ao outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas.

dinheiro3Já que definimos que os criadores de Pokemon Go não são, necessariamente, espalhadores de demônios, então qual é a intenção do jogo? Não precisa ser muito esperto pra entender que tudo em volta de jogos e aplicativos que fazem sucesso é baseado em dinheiro. Quando o jogo veio ao Brasil, eu decidi instalar em meu celular (sim, fiquei muito curioso para ver como funciona), mas para minha surpresa, meu celular antigão (do ano retrasado) não suporta o jogo. O da minha esposa (lançado ano passado), também não. Os celulares que suportam o jogo custam no mínimo uns R$ 900,00. Precisa ter 2 Gb de memória Ram, GPS, Sensores de bússola, giroscópio, uma boa conexão de rede, etc. Quem entende um pouco de configuração de celular sabe do que estou falando. Logo, eu poderia pensar: Como não posso sobreviver sem esse jogo, vou logo comprar um celular “melhor”. Infelizmente muitos fazem isso. Muitos jovens, hoje, já estão com seus nomes no SERASA, SPC, Proteção ao Crédito… pois fazem dívidas que não conseguem quitar para ter um celular “melhor”. Mesmo aqueles que pagam numa boa, na maioria, reclamam que não conseguem dar o dízimo, ofertas, pagar o retiro ou acampamento promovido pela igreja, comprar uma bíblia de estudo ou material para se aprofundar mais na Palavra de Deus… Enquanto muitos missionários passam fome para levar o evangelho para lugares inóspitos, alguns Cristãos preferem investir seu dinheiro em entretenimento.  Logo, minha opinião não é que o Cristão não pode possuir um bom celular, mas, se ele gasta toda sua finança nisso, precisa rever seus princípios de vida cristã, abnegação, simplicidade, etc. Não dá pra servir o Senhor e ao dinheiro (ou ao espírito consumista que toma conta da mente e coração de muitos cristãos hoje).

Por ultimo leia esse versículo:

Mateus 28.19-20

19 ​Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; 20 ​ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século.

resgate de jesusConcluo dizendo: se você quer ir atrás de pokemon, pode ir, tudo te é lícito. Mas reflita comigo apenas se você está procurando almas perdidas com a mesma motivação e ânimo que está procurando por pokemons. Pokemon Go, e eu também Vou. Mas vou para onde? Vou cumprir minha missão real (não virtual) de fazer discípulos (não monstrinhos), ensinando-os a guardar aquilo que Jesus me ensinou (não treinando-os para batalhas virtuais).

Muitos jovens que se dizem cristãos sentem vergonha de pregar o evangelho, mas não sentem vergonha de sair pela rua segurando seu Smartphone em busca de monstrinhos virtuais. Eles sabem tudo sobre pokemons, mas não conhecem nada da Palavra de Deus. Correm quilômetros para jogar uma pokebola, mas diz que está cansado para ir na igreja ou que não foi porque ninguém deu carona. Essa é a nova geração de cristãos? Eu não faço parte dela. Não vos conformeis com este século, mas sede transformados pela renovação da vossa mente, para que experimenteis a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.