Ministério Pão Diário divulga carta em resposta a Matéria veiculada pelo G1

Publicado em: 10 de setembro de 2022

Categorias: Destaques, Notícias

Visualizações: 30

Tags: , , , ,

Foi divulgada uma carta dos Ministérios Pão Diário pedindo orações dos leitores e parceiros e esclarecendo questões relacionadas a notícia publicada pelo portal G1, na sexta-feira (26), que afirma que Governo Federal distribui livros na Polícia Rodoviária Federal (PRF) com recomendação de leitura da Bíblia e gera incômodo em servidores. De acordo com o diretor dos Ministérios Pão Diário, Edilson Freitas, que assina a carta, a distribuição do livro de reflexões Pão Diário — Segurança Pública acontece por meio de um projeto junto ao Ministério da Justiça que, nos últimos 12 meses, já distribuiu mais 200.000 exemplares para as Forças de Segurança, incluindo policiais, bombeiros, guardas municipais, entre outros, sem nenhum repasse por parte do governo.

Edilson salienta que a ação acontece em conformidade com a Lei e que todos os gastos do projeto são pagos pelos Ministérios Pão Diário. O pronunciamento destaca ainda que a instituição defende a “laicidade do Estado, mas a cidadania não é laica”. Confira um trecho da carta:

“Cada um de nós tem o direito garantido pela Constituição de professar uma fé religiosa. Os membros das Forças de Segurança têm o mesmo direito de professar a religião que desejarem, seja ela católica, evangélica, espírita, matriz africana, entre outras. Acreditamos que, ao distribuir recursos, ajudar os capelães voluntários, trazer palestras no combate ao suicídio, combate à depressão, combate ao estresse, entre outros males, estamos colaborando para uma Polícia melhor. Acreditamos que o bem-estar do ser humano está ligado ao seu bem-estar biopsicossocial e espiritual.

[…] Ministérios Pão Diário continuará a atender nossos heróis, os homens e mulheres que compõem as Forças de Segurança Brasileiras, mediante as demandas e solicitações que nos fizerem”.

A publicação termina com um pedido de oração para “que a imagem desses trabalhos não seja distorcida”. Clique aqui para ler o comunicado na íntegra.

OPNIÃO

O Serviço de capelania, não é algo novo nos ambientes públicos e existem já há muito tempo, sendo exercido em hospitais, prisões e outras entidades. Sempre há o respeito ao individuo e o serviço busca trazer conforto e conselhos, diferentemente do que a velha mídia tem argumentado como pretexto eleitoral. Revendo este tipo de matéria publicada pela velha imprensa, nos parece mais que há o objetivo de distorcer informações do que informar algo ao leitor.

É importante que a Igreja esteja alerta a estes ataques que a imprensa tenta levantar contra o evangelho e mesmo contra os ministérios que exercem a pregação, o aconselhamento e a capelania com seriedade. Mais do que nunca é importante que a Igreja busque o clamor em oração, para que as portas do inferno não prevaleçam contra a pregação do Evangelho!

Com informações de Ultimato, adaptado por Alex Igor Santos