Inaugurado o primeiro Museu da Bíblia da America Latina em São Paulo

Publicado em: 19 de novembro de 2023

Categorias: Destaques, Notícias

Visualizações: 256

Tags: , , , , ,

Foi inaugurado no último domingo (12), em Engenheiro Coelho, na Região de Campinas, São Paulo, o primeiro Museu de Arqueologia Bíblica da América Latina (MAB), localizado na Universidade Adventista de São Paulo (Unasp), campus Engenheiro Coelho. São 1.500m², em um acervo com mais de 3 mil peças, que remontam 4.500 anos de história, do período do bronze até o século XVI depois de Cristo.

Com um investimento superior a R$ 6 milhões, oriundos em sua maioria de doações de empresários e de 30 mil estudantes, o museu oferece uma verdadeira imersão nos tempos bíblicos. “O que queremos oferecer a vocês é a experiência. O museu não está aqui para ser visitado, mas experimentado, te levar a pensar”, afirmou o doutor Rodrigo Silva, curador do MAB, durante a cerimônia de inauguração.

Quem visitar o local poderá conferir artefatos raros como: pregos originais usados em crucifixões, manuscritos do Mar Morto, tabletes cuneiformes que narram o dilúvio, originais de Ur dos Caldeus da época de Abraão, escudo grego e espadas persas ainda com marcas de combate, lamparinas datadas de 2 mil anos antes de Cristo, múmias, carruagem utilizada no período em que Faraó perseguiu os hebreus na fuga do Egito, entre outras peças que vieram de regiões como Síria, Jordânia, Líbano, Inglaterra, Itália, Portugal, Iraque, Grécia e Israel.

Também há uma Vulgata Latina de 1542, uma das primeiras Bíblias publicadas no ocidente depois da prensa de Gutenberg, além de uma torá, moedas, vasos cananitas e outras cerâmicas. No rol de entrada do MAB foi recriado o piso como era no Templo na época de Jesus.

Além disso, o museu se preocupou em reproduzir peças de artefatos históricos, fiéis e de tamanho original do Código de Hamurabi, de 1.750 antes de Cristo e que traz as leis do reino da Babilônia, uma réplica do sarcófago do faraó Tutancâmon, estátuas de animais mitológicos do palácio de Seraqueribe, na Síria, da época de Ezequiel, o selo cilíndrico de Ciro e a Pedra de Roseta, que permitiu a tradução da linguagem dos hieróglifos egípcios.

Junto a alguns artefatos, há um QR Code para que o visitante possa, por meio do seu celular, conseguir mais informações da peça em exposição. O museu também recriou um campo arqueológico, inclusive, com imagens de alta tecnologia projetadas no ambiente, mostrando o nascer e o pôr do sol no Oriente Médio, proporcionando total imersão do visitante.

Do lado de fora do MAB foi construído um jardim dos tempos bíblicos, com 42 espécies de árvores mencionadas na bíblia como oliveiras, acácias, ciprestes, videiras e papiro egípcio. No centro do jardim há uma oliveira de 300 anos, uma prensa de azeitonas em tamanho natural, um moinho de trigo, um poço, um altar de sacrifício e um túmulo vazio, todos elementos que compõem um cenário das principais histórias da Bíblia. Haverá um guia explicando cada parte.

A inauguração contou com a participação de diversas autoridades religiosas, políticas, músicos e cantores que deram um tom especial no culto de dedicação do museu a Deus. “Desde 1983 esse campus existe para servir a Deus e ao Estado. Sempre seguiremos como parceiros do bem e da educação”, afirmou o reitor do Unasp, Martin Kuhn.

Representando Governo de São Paulo, o Secretário de Estado, Gilberto Kassab, falou da importância de obras como essa não apenas para o estado paulista como também para o Brasil. “O museu que hoje abre as suas portas é uma oportunidade para que possamos levar o texto bíblico a todos os cantos do país. Precisamos mostrar para a humanidade que existe um caminho para um mundo melhor. E esse caminho é a Bíblia”, ressalta o secretário.

No mês de novembro, a entrada no MAB será gratuita, mas depois será necessário adquirir um ingresso, cujo valor arrecadado será para a própria manutenção do museu. Também é necessário agendar as visitas.

Para mais informações acesse:

Site: MAB

Reprodução Folha Gospel