A Generosidade do coração em ver a todos

Publicado em: 19 de novembro de 2023

Categorias: Destaques, Estudos de Quinta Feira

Visualizações: 75

Tags: , , , , , , ,

Por Daniel Solano Maldonado

Um domingo de manhã, há alguns anos, eu e alguns amigos estudantes decidimos servir café da manhã para pessoas desabrigadas em um dos bairros mais perigosos da cidade. A polícia tinha aconselhado as pessoas a não se aproximarem daquele lugar, mas nos sentimos guiados pelo Espírito Santo a irmos até lá.

Ficamos chocados com o que encontramos. Vimos pessoas famintas, sujas e embriagadas. Encontramos crianças drogadas e incapazes de se moverem. Entre o cheiro e o caos, estava um bebe recém-nascido. Aquilo partiu o nosso coração. Um homem veio até nós. Inicialmente, tive medo e preconceito porque ele cheirava a álcool, estava drogado e tinha feridas por todo o corpo. Começamos a conversar e passei a ver além do que estava na superfície. Ele começou a me contar um pouco da sua história e que não costumava morar na rua. Ele já havia feito parte de uma igreja e chegou até mesmo a ser batizado. Uma série de decisões ruins e circunstâncias difíceis fizeram com que morar na rua fosse a sua única opção. Conversamos com outras pessoas, que também compartilharam seu passado. Ouvimos histórias de estupro, abuso e vício.

As vezes pode ser difícil ver além do cabelo e do rosto sujos, do cheiro e da embriaguez, mas cada pessoa que vive na rua tem uma história. Todas as pessoas são feitas a imagem de Deus, de um modo assombroso e maravilhoso, e são amadas por ele.

Este único encontro me inspirou a fazer mais do que apenas dar-lhes dinheiro. O projeto cresceu, e formamos uma equipe de até dezoito pessoas para servir café da manhã pelo menos uma vez por mês para as pessoas que vivem na rua, passar algum tempo com elas e organizar passeios para o interior.

Quando vejo bebes, crianças, jovens e adultos nas ruas, muitas vezes penso em mim, em meus irmãos e em minhas irmãs, em meus sobrinhos e em minhas sobrinhas. Poderia ser um de nós, deitado com fome e sem esperança. Penso em como Deus tem sido misericordioso comigo, dando-me abrigo, alimentos e uma família amorosa. Quero ser parte da obra de Deus e obediente ao seu chamado para alcançar os pobres e os que sofrem. Quero ajudar porque Deus merece cada centavo do meu dinheiro e cada segundo do meu tempo.

Texto retirado do portal ultimato, para acessar os demais recursos deste estudo, clique aqui