Artefatos do 1º Templo revelam vida dos personagens do Antigo Testamento

Publicado em: 21 de janeiro de 2024

Categorias: Destaques, Notícias

Visualizações: 105

Tags: , , , , , ,

Foto: Emil Eldjem, Autoridade de Antiguidades de Israel

Tempos Bíblicos

Uma rara moeda de prata do período do Primeiro Templo, datada de cerca de 2.550 anos atrás, foi encontrada em escavações recentes no sudoeste de Jerusalém, durante obras de ampliação de uma rodovia. A Autoridade de Antiguidades de Israel anunciou a descoberta, incluindo também um peso de shekel de pedra e outros artefatos.

O Dr. Robert Kool, chefe do Departamento Numismático da IAA (Israel Antiquities Authority), descreve a moeda como uma das apenas meia dúzia desse tipo encontradas em Israel. Remontando ao período persa, a moeda foi cunhada no início da introdução de moedas como forma de comércio. “A descoberta rara contribui com informações sobre como o comércio evoluiu de pagamentos em peças de prata para o uso de moedas”, explicou Kool. A moeda em questão faz parte de um conjunto de moedas antigas cunhadas fora das fronteiras da Terra de Israel, abrangendo regiões como Grécia, Chipre e a antiga Turquia. Essas moedas começaram a circular em locais de Israel no século 5/6 a.C. 

Encontrada dividida em duas partes, a moeda revela seu uso como peso para o comércio, mesmo que tenha sido inicialmente cunhada para circulação. Arqueólogos desenterraram também pontas de flechas e um peso de pedra durante escavações de uma casa do período do Primeiro Templo. O peso de shekel de pedra, com 11,07 gramas, sugere um comércio organizado inicial na região. Os diretores da escavação destacam que o peso em forma de domo era usado para pesar metais, especiarias e mercadorias caras, evidenciando práticas cuidadosas nos mercados da região do Reino de Judá.

Eli Escuisido, diretor da IAA, enfatiza a importância das pequenas moedas como fontes cruciais de informação em arqueologia. Por mais que pareça algo irrelevante e sem importância, este tipo de descoberta ajuda a compreender os hábitos do passado e aspectos e circunstância da cultura, sociedade e economia que os povos do antigo e novo testamento mantinham em seu dia a dia. Entender isso, ajuda a compreender melhor a escritura sagrada.  “É interessante considerar futuras pesquisas arqueológicas em um mundo que adotou o comércio eletrônico”, conclui Escuisido.