Fé, Negócios e Sociedade? Uma Igreja Tolerante!

Publicado em: 1 de março de 2018

Categorias: Estudos de Quinta Feira

Visualizações: 139

Tags:

Apocalipse 2.20

Tenho, porém, contra você o fato de você tolerar que essa mulher, Jezabel, que se declara profetisa, não somente ensine, mas ainda seduza os meus servos a praticar a prostituição e a comer coisas sacrificadas aos ídolos.

Vivemos num século onde vários sistemas maculosos invadem o dia-a-dia de muitas pessoas. Os pluralistas tentam encontrar uma melhor opção para todas as coisas. Os consumistas tentam resolver seus problemas internos comprando compulsivamente tudo o que veem pela frente. Os hedonistas buscam prazer a qualquer custo e os relativistas não acreditam que exista um verdade absoluta. Aqueles que não se encaixam em nenhum destes sistemas é tido como estranho pela sociedade. O mais triste de toda esta história é saber que estes sistemas, aos poucos, têm invadido nossas igrejas e tomado conta da vida de muitos que outrora eram crentes fieis. O que devemos fazer para não ser uma igreja tolerante com este tipo de contaminação pecaminosa?

Não devemos tolerar um Ensino Vazio! Vimos na leitura que a Igreja em Tiatira possuía muitos pontos fortes: Fé, amor, serviço. Porém era fraca doutrinariamente. Logo que apareceu uma mulher, Jezabel, trazendo um novo ensino que poderia lhes colocar dentro do círculo comercial e aumentar seu status na sociedade, eles aderiram a isto. Isso nos prova o quanto devemos tomar cuidado com aquilo que dizem em nome de Jesus por aí. Jesus nos adverte que entrariam lobos no meio das ovelhas e joio seria semeado em meio ao trigo.

A solução que nos protege contra este tipo de ataque é o estudo sério da Palavra de Deus. Quando conhecemos aquilo que é Verdadeiro, logo conseguimos distinguir o que e falso. Devemos nos arrepender dos caminhos maus! Jezabel recebeu de Je-sus uma chance de se arrepender. Mesmo com tempo para fazer isso, ela preferiu continuar buscando o caminho das profundezas de Satanás. Ela foi punida por Jesus em juízo pelo que estava fazendo a Igreja. Seus seguidores, também, tiveram a oportunidade de se arrepender. Jesus é aquele que possuí olhos como de chama, que enxerga todas as coisas e pode incendiar tudo a seu caminho. Seus pés são como o bronze pesado que despedaça aquilo que tenta desviar seus fiéis.

Quando percebemos que estamos sendo pedra de tropeço para os servos de Deus, o melhor caminho é o do arrependimento. Conclusão e recompensas: Podemos concluir que a tolerância aos sistemas vazios do mundo dentro das nossas igrejas é algo que nos leva para longe do propósito de servir a Jesus. Devemos ser fieis e sempre dispostos a provar tudo pelo crivo da Palavra de Deus. Jesus promete que um dia reinaremos ao seu lado e carregaremos a estrela da manhã como símbolo de vitória. Não devemos negociar nossa fé em busca de status nesta mundo, pois somos cidadãos do céu.