A Influência da Igreja no Mundo

Publicado em: 23 de junho de 2019

Categorias: Destaques, Devocionais

Visualizações: 81

Tags: ,

Texto Base: Mateus 5.13-16

Junho é um mês muito especial para a Igreja Presbiteriana Bela Jerusalém. Nele, esta amada igreja celebra seu aniversário de organização. Em 2019, a Bela celebra 32 ano. Desde o ano de 1987, esta amada igreja está plantada no bairro Jardim Jandaia com a missão de ser “sal da terra” e “luz do mundo”. Aliás, o que é o que o Senhor Jesus quis dizer quando afirmou aos Seus discípulos que estes deveriam ser “sal da terra” e “luz do mundo” conforme registro em Mateus 5.13-14?  Estas duas metáforas para os discípulos de Jesus encontram-se no chamado “sermão do monte” registrado em Mateus 5.1-12 e vêm logo após o Mestre proferir as Suas “bem-aventuranças”.

O sal nos tempos de Jesus tinha a propriedade principal de evitar a contaminação de um alimento. Nos tempos do Mestre não existia refrigeração e o sal servia para preservar a carne de apodrecer. A ideia central do texto é que o cristão neste mundo tem o importante papel de evitar que a contaminação do pecado e a corrupção do mundo proliferem. O discípulo de Jesus que é “sal da terra” faz com que sua presença impeça que a corrupção cresça nas repartições públicas, faz com que sua presença iniba o pecado no ambiente profissional, político, universitário e familiar.

Outra propriedade importante do sal é que ele dá sabor. Sabemos que por mais que um alimento seja suculento, a falta do sal inibe o sabor do mesmo, deixando-o sem graça e insosso. Uma  pequena pitada de sal faz toda a diferença. Foi por isso que o pastor Caio Fábio afirmou certa vez que “o cristão é o sal que veio dar sabor ao desgosto do mundo.”

Outra metáfora usada por Jesus na passagem é a metáfora da luz. Há sete “Eu sou” de Jesus no evangelho de João. Jesus diz que Ele é o bom pastor; Ele é a porta; Ele a ressurreição e a vida; Ele é a videira verdadeira; Ele é o pão da vida; Ele é o caminho, a verdade e a vida” e que  Ele é a luz do mundo (Jo 8.12). Jesus diz também que o cristão é a luz do mundo (Mt 5.14). Afinal, quem é a luz do mundo? Jesus ou a igreja? É claro que é Jesus, porque Ele tem luz própria e a igreja não. Jesus é chamado de o “Sol da Justiça” (Ml 4.2). O sol tem luz própria, a lua não. A luz reflete a luz do sol. Isto significa que o discípulo de Jesus deve refletir a luz de Cristo. Se ser “sal da terra” está relacionado com a vida interior do discípulo de Jesus, ser luz do mundo está relacionado com a vida exterior do discípulo de Jesus. Se o cristão perde seu sabor e deixa de ser sal para nada mais presta, se não para ser pisado e lançado fora (Mt 5.13). Uma cidade iluminada sobre o monte não pode ficar escondida, assim como uma lamparina acesa não pode ficar escondida dentro de um caixote (alqueire), cf. Mt 5.14-15.

Parabéns  Bela pelos seus 32 anos de organização. Que esta amada igreja continue a ser “sal da terra” e “luz do mundo” em Ribeirão Preto. Meu desejo é que brilhe a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus (Mt 5.16).