Os “joões-ninguém” do Mundo

Publicado em: 14 de janeiro de 2023

Categorias: Destaques, Devocionais

Visualizações: 39

Tags: , ,

Recordo-me que anos atrás ouvi o comentário de alguém que afirmou que iria votar em tal candidato não por suas propostas, mas sim, por sua beleza. Esta inusitada afirmação mostra o quanto temos a tendência de fazer escolhas baseadas nas aparências. Diferentemente dos homens, Deus não está preocupado com a aparência, mas com o interior do ser humano (I Samuel 16.7). Foi assim a escolha de Davi para ser o rei de Israel.

Após o povo de Israel pedir inconsequentemente um rei (I Samuel 8.1-9) e este rei chamado Saul não andar nos caminhos do Senhor, Deus toma a atitude de levantar um rei segundo o Seu coração (I Samuel 13.13-14; 16.11). A julgar pelo exterior, parecia não haver nada que impressionasse a Deus ou qualquer homem para levantar Davi, um jovem pastor de ovelhas, que morava no povoado de Belém como o futuro rei de Israel.

Saul, o primeiro rei de Israel, aos olhos humanos era alto, moreno e bonito. Davi, o substituto de Saul, apesar da aparência saudável, parecia não chamar tanta atenção, tanto que quando Samuel foi designado pelo Eterno para ir a casa de Jessé, buscar dentro os filhos dele o novo rei de Israel, Davi não estava em casa. Um a um,  os filhos de Jessé foram chamados para se apresentarem a Samuel, mas nenhum dos apresentados era o escolhido por Deus. A pergunta de Samuel foi: “Acabaram-se teus filhos?” (I Samuel 16.11). Jessé fez menção de Davi, que estava pastoreando no campo.

A resposta de Jessé deixa implícito que nem o próprio pai acreditava que Davi pudesse ser o homem escolhido por Deus (I Samuel 16.12). Esta passagem nos mostra que Deus é especialista em chamar e usar os “Joões e Marias ninguém’ do mundo”. Charles Swindoll cita em seu livro sobre Davi, a tradução da nova versão de Berkeley que assim traz o texto de I Coríntios 1.28-29: “Deus também escolheu as pessoas insignificantes e os Joões-ninguém do mundo para reduzir a nada os que são, a fim de que ninguém se glorie na presença de Deus.”

Talvez você que lê este texto se sinta insignificante e sem valor. Talvez se sinta incapaz. Quero dizer-lhe que Deus é capaz de pegar pessoas que são consideradas sem valor para a sociedade e usá-las poderosamente. Foi assim com Paulo que dê cruel perseguidor da igreja de Cristo, tornou-se embaixador do evangelho. Foi assim com Pedro que de humilde pescador foi usado poderosamente para pregar o evangelho.

Foi assim com Moisés, que sentindo-se incapaz, foi usado magnificamente por Deus para livrar o povo de Israel do jugo egípcio. Foi assim com o pastor batista Martin Luther King, que num período de muita segregação racial nos EUA, foi usado por Deus para lutar contra o preconceito dos americanos brancos em relação aos negros.

Coloque-se nas mãos do SENHOR. O Eterno pode fazer uma grande obra em você e através de você.