O Caminho sem Profundidade

Publicado em: 26 de julho de 2020

Categorias: Destaques, Devocionais

Visualizações: 87

Tags: , ,

Smiling beautiful young couple in love, on the city street, dating and having fun together.

Leitura Recomendada: Mateus 13.1-23

A parábola do semeador é uma das mais conhecidas de toda a Bíblia. Ela trata do avanço do reino de Deus. Antes de proferir a parábola, Jesus não deixou-se impressionar pelas multidões que o seguiam (Mt 13.1-2). Sabia Ele que muitos não seguiriam a Palavra de Deus. Tanto que 3/4 das sementes lançadas não vingaram. Na parábola em questão o semeador representa aquele que semeia o evangelho.

O solo representa o coração daquele que recebe o evangelho e as sementes representam a Palavra pregada. A primeira porção de sementes cai à beira do caminho onde vindo as aves comeram as mesmas (13.4). As aves no texto representam o diabo que procura roubar a Palavra de Deus do coração das pessoas (13.19). Já a segunda porção de sementes cai em solo rochoso (13.5), onde a terra era pouca e vindo o sol queimou as sementes por não haver profundidade no solo (13.6).

O solo rochoso representa o “ouvinte emocional” do evangelho. Representa aquele que recebe o evangelho com alegria, mas por não ter consistência, mais dia ou menos dia abandonará a fé cristã. O sol que queima as sementes representa a angústia e a perseguição (13.21). Não são poucos que se declaram cristãos, mas não suportam tempos de angústias e perseguições. É preciso deixar claro que viver a fé cristã não é pisar em tapetes aveludados. Não é viver em uma redoma de vidro (Jo 16.33). Não é apenas receber as benesses de Deus.

Muito do que se tem pregado por aí é um evangelho emocional para crentes emocionais e sem profundidade. Promete-se carros, mansões, saúde plena, prosperidade, emprego dos sonhos, etc, mas não se prega que há um preço a pagar pelo evangelho de Cristo. Paulo quando foi chamado por Cristo para ser o grande embaixador do evangelho, foi chamado para sofrer pelo mesmo (At 9.15-16). José antes de tornar governador do Egito, sofreu toda a sorte de provações (Gn 37-50).

Jesus antes da vitória sobre a morte enfrentou a dor da cruz, açoites, escárnios e toda a sorte de humilhações (Jo 19-21). Aquele que abraça a fé deve se lembrar que entra numa guerra espiritual com satanás, daí ser natural que enfrente angústias e perseguições. Foi o próprio Paulo quem afirmou: “Ora, todos quantos querem viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos” (II Tm 3.12).

Procure o aprofundamento espiritual, não deixe de ir à igreja e exercitar as práticas espirituais (oração, leitura da palavra e jejum). Não permita que seu coração seja um solo rochoso e sem profundidade. Lembre-se que mar calmo nunca fez um bom marinheiro!