O Vazio e a abundância

Publicado em: 9 de julho de 2022

Categorias: Destaques, Devocionais

Visualizações: 120

Tags: , , , , , ,

Leitura Recomendada: Lucas 12.22-31

Há dois impulsos na natureza humana: o respeito próprio e o respeito ao próximo. Se o respeito próprio estiver no controle, você será levado à futilidade vazia, por mais que você tenha acumulado. Um dos homens mais ricos deste século apareceu em uma reunião e disse: “Dediquei tanto tempo e atenção àquilo com o qual realmente me importo pouco hoje, ou seja, o dinheiro, e tão pouco tempo às coisas que realmente me importam, ou seja, as coisas espirituais, que me pergunto se vivi com sabedoria”. Muitas pessoas “passam a primeira metade da vida gastando saúde para ganhar riqueza e a outra metade gastando riqueza para ganhar saúde”.

Um médico norte-americano, especialista em construção de hospitais, foi consultado por um comitê de Montevidéu, no Uruguai, sobre quanto ele cobraria para planejar um hospital para eles. Ele pediu cem mil dólares. O comitê voltou a se reunir com ele, informou-o das necessidades de sua pequena, porém grande, república e perguntou-lhe se ele faria o projeto como uma contribuição à amizade, sem cobrar nada. Ele disse que sim.

O médico construiu um dos hospitais mais maravilhosos do mundo e poupou ao Uruguai milhões de dólares. Ele é amado pelos uruguaios, que levam seus visitantes, assim como me levaram, para ver o monumento ao homem. O respeito próprio disse: cem mil dólares é o preço! O respeito ao próximo disse: farei por amor! Se o médico tivesse atendido ao primeiro motivo, já teria sido esquecido; mas ele atendeu ao segundo, e não há como esquecê-lo.

No começo do Século XX, as pessoas na Rússia estavam passando fome.* Havia excesso de trigo no Meio Oeste (dos Estados Unidos). O trigo foi doado aos russos, transportado gratuitamente por estradas de ferro e por navios, e colocado em depósitos de cereais sem nada em troca. Isso salvou os lavradores – os preços que praticavam permaneceram altos –, salvou os russos da fome e deixou um depósito de boa vontade na alma de ambos os povos.

Um porteiro gemeu ao levantar minhas malas pesadas. “O senhor carrega seu ouro consigo, não é?” Eu poderia dizer que sim! Meu “ouro” estava dentro de mim – paz, harmonia, Deus! Obedecer a Deus traz isso!

Um provérbio diz o seguinte: “O que gastei, eu tive; o que guardei, perdi; o que dei, ainda tenho”.

Ó Cristo, que disseste: “Eu sou a luz do mundo”, sabemos que ainda és a luz do mundo, especialmente a luz do mundo das coisas. Ajuda-me hoje a seguir o Caminho e, assim, andarei na luz. Amém. 

Afirmação do dia: “Há quem dê generosamente, e vê aumentar suas riquezas; outros retêm o que deveriam dar, e caem na pobreza” (Pv 11.24).

*Estima-se que a fome russa de 1921 tenha matado 6 milhões de pessoas. 

Retirado de O Caminho [Stanley Jones]. Editora Ultimato.