O Caminho dos Humildes de Espírito

Publicado em: 21 de agosto de 2019

Categorias: Destaques, Devocionais

Visualizações: 110

Tags: ,

Mateus 5.1-3 inicia o sermão que ficou conhecido por resumir os ensinos de Cristo Jesus de forma prática e eficiente em nossas vidas. Quando olhamos para as bem-aventuranças, elas parecem confundir os discípulos. Jesus inicia seu famoso sermão com a palavra grega makarios, e esta palavra define algo que vai além da felicidade. Porém logo em seguida, ele usa a palavra ptokós, e esta define uma pobreza tão grande que as pessoas não gostavam nem de pensar. Mas como estas palavras poderiam caminhar juntas?

A tradução que conhecemos para esta expressão é humilde de espírito, mas ela também poderia ser traduzida como pobreza de espírito. Como poderia ser feliz alguém pobre de espírito? Jesus nos mostra que a verdadeira felicidade é um grande paradoxo para o mundo, por isso, para ser feliz é necessário repudiar o que o mundo ama e abraçar o que o mundo repudia. Para entender melhor as palavras de Jesus, é necessário entender que ser pobre de espírito não significa: ser pobre financeiramente, nem viver em pobreza espiritual (sem praticar as disciplinas espirituais), ou mesmo ser pobre de autoestima ou fraco e tímido. Ser pobre de espírito significa: Esvaziar-se daquilo que adquirimos carnalmente para que Deus nos encha de seu Espírito; é ser completamente dependente de Deus e cremos que a salvação provém da sua graça e não nossos méritos.

Por último, vale lembrar que a promessa de Jesus para o pobre de espírito é para o presente e o futuro. Ele disse: destes é o Reino dos Céus e não será o Reino dos Céus. Isso significa que o Reino dos céus pode se manifestar ainda hoje em nossas vidas, mas que chegará a sua perfeição no dia da consumação. Vivamos a verdadeira felicidade.