O Libertador

Publicado em: 28 de fevereiro de 2020

Categorias: Estudos de Quinta Feira

Visualizações: 122

José foi um homem querido e respeitado no Egito, afinal, ele, por meio da ação graciosa de Deus, salvou esse povo da fome. Porém, um tempo após a sua morte, levantou-se um rei que não sabia quem era José (Êx. 1.8). Esse rei se incomodava com a população de Israel que vivia ali, pois ela era bastante numerosa. Receoso que esse povo oferecesse algum perigo ao seu reinado o rei começa a subjugá-lo na expectativa de que ele se enfraqueça e se reproduza menos. Mas, o povo, com a benção de Deus, crescia cada vez mais. O rei, então, mandou que as parteiras matassem qualquer criança que nascesse do sexo masculino, mantendo vivas apenas as meninas. Porém, as parteiras não obedeceram ao rei por temor a Deus e por isso Deus foi bondoso com elas lhes constituindo família. Todavia a ordem permanecia: se nascesse homem, deveria ser morto.

É neste período que da casa de Levi nasce um belo menino e como a mãe já não podia mais mantê-lo consigo sem que soubessem que estava descumprindo a ordem do rei, pega um cesto, impermeabiliza ele, coloca a criança dentro e o solta no rio. Sua irmã segue longe acompanhando o que aconteceria com aquele cesto.

Acontece que nesse momento a filha de faraó está se banhando nesse mesmo rio. Suas escravas veem o cesto descendo o rio e o coletam. Ao abrir, encontram uma criança dentro. Elas correm até sua ama, lhe explicam o corrido e mostram a criança a ela, que se compadece do menino. A irmã dele, que acompanha toda a cena de longe, com habilidade, chega perto e pergunta para a filha de faraó se ela deseja que ela vá arrumar uma ama de leite para o menino. A filha de Faraó pede para ela ir e a garota traz, ninguém menos, que sua mãe.

Dessa forma, com o agir sobrenatural de Deus, essa criança, não apenas é poupada de uma morte maldosa como passa a ter por mãe adotiva a filha de Faraó e como sua ama de leite sua própria mãe.

O menino de quem estamos falando é Moisés.

Moisés é criado como um egípcio, mas aos quarenta anos, Deus que o salvou naquele dia para um propósito muito importante na Sua obra, o chama para ser o libertador do seu povo. Moisés não deseja este fardo para si, se acha incapaz de tal tarefa, mas quando Deus escolhe alguém duas coisas são inevitáveis: que se cumpra o que Ele deseja e que a pessoa se torne a melhor escolha possível para aquele trabalho.

Como se diz um famoso ditado popular: Deus não escolhe os capacitados, capacita os escolhidos.  E, assim, com a orientação de Deus e sua ação miraculosa, Moisés tira o povo do Egito, conduzindo-os pelo deserto até a terra prometida se tornando um dos grandes heróis da fé.

Post Anterior:
Próximo post: