Batismo Infantil – Parte 1

Publicado em: 30 de março de 2017

Categorias: Estudos de Quinta Feira

Visualizações: 474

Tags:

Batismo Infantil

Colossenses 2.12-13

12 Pois, quando vocês foram batizados, foram sepultados com Cristo; e no batismo também foram ressuscitados com ele por meio da fé que vocês têm no grande poder de Deus, o mesmo Deus que ressuscitou Cristo.
13 Antigamente vocês estavam espiritualmente mortos por causa dos seus pecados e porque eram não judeus e não tinham a lei. Mas agora Deus os ressuscitou junto com Cristo. Deus perdoou todos os nossos pecados

 INTRODUÇÃO

 O batismo de crianças, filhos de crentes (também chamado de pedobatismo) é uma prática histórica de muitas igrejas. Mesmo assim, a comunidade Batista em todo mundo, diverge de forma veemente desta prática. Segundo os Batistas, a filiação a uma igreja local é só para aqueles que publicamente professam a sua fé pessoal em Cristo.

Para os Batistas, Cristo institui o batismo primeiramente como uma profissão de fé pública. Portanto, não consideram o batismo de crianças como batismo, tanto que na profissão de fé, as pessoas que se batizaram na infância são batizadas novamente.

A teologia histórica reformada não aceita esse pensamento dos batistas, e rejeita que somente o batismo de crentes adultos é o verdadeiro batismo e rejeita a exclusão dos filhos de crentes na comunidade visível de cristo.

A BÍBLIA FALA SOBRE O BATISMO INFANTIL?

A prática do batismo infantil não é nem prescrita nem proibida no Novo Testamento.

A ALIANÇA DE DEUS COM O SEU POVO MEDIANTE A CIRCUNCISÃO

O argumento se apoia no paralelo entre a aliança do velho testamento e do novo testamento. Circuncisão e Batismo são sinais do selo da graça de Deus. Em Gênesis 17.7 lemos: “estabelecerei a minha aliança entre mim e ti e a tua descendência no decurso das suas gerações, aliança perpétua, para ser o teu deus e da tua descendência. ”

Essa aliança consistia na circuncisão (Gn 17.7-14). Toda a criança do sexo masculino seria circuncidada ao oitavo dia após o nascimento (Gn 17.12). É dito no v.7 que é uma aliança perpétua. Isto significa que qualquer um, em qualquer lugar do mundo e que estiver em comunhão com o Deus Vivo estará debaixo da aliança Abraâmica. Abraão tornou-se filho de Deus por adoção, mediante uma aliança e nós nos tornamos filhos de Deus mediante a adoção também.

Observe o que diz Gálatas 3.14 – “Ele nos resgatou para que a bênção de Abraão chegasse aos gentios por Jesus Cristo, e para que pela fé nós recebêssemos a promessa do Espírito”. Veja também Gálatas 3.29 – “…se sois de Cristo, então sois descendentes de Abraão.” Portanto há uma continuidade da Aliança desde Abraão até agora. A aliança da graça do velho testamento e a aliança da graça do novo testamento não são distintas, mas são a mesma coisa. Ver Gálatas 3.16 – “as promessas foram feitas a Abraão e ao seu descendente (Cristo)”.

Mesmo recebendo o sinal da aliança, somente Deus sabia quem era realmente convertido, ou estava em comunhão com Deus (Gênesis 17.18-21). – aliança feita com Isaque e não com Ismael.  Portanto, assim como a circuncisão era um sinal da Aliança com Deus e Seu povo, assim também é o batismo.

Este estudo continua na próxima semana. Não deixe de Ler!