A queda do Homem

Publicado em: 2 de janeiro de 2020

Categorias: Estudos de Quinta Feira

Visualizações: 268

Tags: ,

Adão e Eva, o primeiro casal criado por Deus, eram a mais privilegiada de todas as criações de Deus: foram feitos a imagem e semelhança de Dele (Gn 1.27), tinham um jardim maravilhoso para morarem (Gn 2.8), Deus fez brotar alimentos em fartura (Gn 2.9), haviam riquezas (Gn 2.11-12), o homem podia comer livremente do fruto da terra (Gn 2.16), Deus, também, se preocupou em não deixar Adão só e lhe fez uma auxiliadora (Gn 2.18), estavam nús (não tinham malícia de estarem assim. Gn 2.25) e não se envergonhavam. Tudo era perfeito.

Outro ponto interessante que se pode inferir: repare que estavam nús e não sentiam frio, viviam no meio de uma mata e provavelmente não eram atormentados por insetos, viviam entre animais e não eram atacados, não havia medicina e nem remédios e mesmo assim não ficavam doentes, o homem era vegetariano, a morte não existia e Deus vinha visita-los diariamente (Gn 3.8).

Deus criou toda essa maravilha para o homem e pediu apenas uma coisa em troca: obediência. O homem poderia comer livremente de toda árvore, inclusive da árvore da vida, apenas da árvore do conhecimento do bem e do mal não deveria comer. Observe que essa árvore não estava em um local oculto onde o homem poderia comer enganadamente, ela ficava no meio do jardim bem às vistas para que não houvesse dúvidas (Gn 2.9).

Porém, o homem criado perfeito e, até seu pecado original, com o livre-arbítrio para decidir entre o bem o mal, vê tudo o que tem, tudo o que Deus fez por eles e, assim mesmo, prefere a desobediência, pois cobiça ser igual a Deus.

E assim Eva é tentada pela serpente, peca e Adão, peca com ela comendo do fruto proibido. Aqui é importante reafirmar que a culpabilidade não é maior em Eva por ter comido e dado o fruto ao seu marido, muito pelo contrário, foi com Adão que Deus fez o pacto, ele acima de Eva deveria ter rejeitado se rebelar contra Deus. Mas não o fez.

E então o homem peca, quebra a aliança com Deus, a morte passa a existir, houve morte de animais para criar vestimentas a eles (Gn 3.21) e alimentação que agora passa a incluir carne (Gn 9.3). Por culpa deles, já que tinham domínio sobre a terra e tudo que havia nela (Gn 1.26), a terra e tudo o que existe passa a sofrer as consequências do pecado (Gn 3.17) e, por fim, foram expulsos do jardim do Éden e privados da vida eterna carnal (Gn 3.22-23).

Adão e Eva até o momento do seu pecado não tinham filhos, portanto, nasceram de pessoas pecadoras, com natureza corrompida, transmitindo a ele e seus descendentes sua natureza pecaminosa, tornando todos, consequentemente, pecadores (Gn 6.5; Rm 3.9-20; 1Co 15.22).

E mesmo assim, com toda a rebeldia humana, Deus continua amando sua criação e mostra seu amor ali mesmo, logo após a queda, cuidado do homem, fazendo vestimentas para o casal e prometendo um Salvador, Jesus Cristo, que os remiria de seus pecados, pois eles mesmos não conseguiriam fazer isso. Por um amor, imenso e incompreensível, que Deus teve por eles e tem por todos os seus não poupou nem a seu próprio filho (Rm 8.32) para que os eleitos tivessem vida.