Restaurando a Família – o Casamento

Publicado em: 1 de maio de 2017

Categorias: Devocionais

Visualizações: 641

Tags:

Casamento

Salmo 128.1-6a

Feliz aquele que teme a Deus, o SENHOR,
e vive de acordo com a sua vontade! Se você for assim, ganhará o suficiente para viver,
será feliz, e tudo dará certo para você.
Em casa, a sua mulher será como uma parreira
que dá muita uva; e, em volta da mesa, os seus filhos
serão como oliveiras novas.
Quem teme ao SENHOR certamente será abençoado assim.
Que, do monte Sião,o SENHOR o abençoe!
Que, em todos os dias da sua vida,
você veja o progresso de Jerusalém! E que você viva para ver os seus netos!

O casamento nasceu no coração de Deus. Deus criou o casamento para resolver o problema da solidão do homem (Gn 2.18). Apesar de Adão ter acesso a um lugar perfeito e a um Deus perfeito, ele ainda se sentia desconfortável, pois não se achava entre todas as criaturas de Deus, alguém que se equiparasse a ele. Foi por isso que Deus fez com que Adão caísse em profundo sono e formou a mulher de uma de suas costelas (Gn 2.21-22). Quando Adão viu a Eva, exultou de alegria e disse: “Esta, afinal, é osso dos meus ossos e carne da minha carne” (Gn 2.24).

O problema é que após aquela união sublime entre Adão e Eva, veio o pecado, e este afetou não somente o homem e sua relação com Deus, mas também a relação do homem com o próprio homem. É por isso que podemos afirmar que não há família perfeita. Ao nos depararmos com as famílias a partir do cap. 4 de Gênesis, vemos o quanto havia nelas distorções, ambiguidades e conflitos. É por isso que Jesus quando fala de relacionamentos, inclusive entre casais e família, alerta sobre a necessidade do perdão.

O perdão é o reflexo do caráter e do amor de Deus. O perdão é o alicerce sólido para a sobrevivência da família. Quando nos casamos, recebemos um símbolo (selo) no dedo chamado aliança. Cantares 8.6 afirma: “Põe-me como selo sobre o seu braço e somo selo sobre o seu coração”.

O selo na antiguidade era o símbolo maior de um acordo estabelecido. Um decreto real passava a ter valor somente quando recebia o selo real. O selo no coração e o selo no braço são símbolos que representam uma decisão tomada pelos noivos. O selo no coração representava a intimidade do casal. O selo no braço representa o relacionamento público do casal.

Mas, qual é a decisão tomada pelos noivos quando se casam? A decisão de caminharem juntos até o fim independente das diferenças, obstáculos e provas que venham no caminho. O apóstolo Paulo faz uma interessante comparação entre o amor de um marido e sua esposa, comparando-o a relação entre Cristo, o Noivo, e Sua igreja, a noiva (Ef 5.22-33). Cristo amou sua noiva (igreja) apesar de suas imperfeições e Se entregou por ela (Ef 5.25) amando-a até o fim (Jo 13.1). Quando nos casamos, casamos com as virtudes e defeitos da pessoa amada. É por isso que nossa decisão deve ser a de amar firmemente o cônjuge até o fim, assim como Cristo amou a Sua igreja.  Foi por isso que C. S. Lewis afirmou que amor não é um sentimento, mas uma decisão.

Há obstáculos em seu casamento? Há crises em sua família? Você quer tomar a firme decisão de tirar as pedras no caminho de sua família? Deus tem uma resposta para você.