Portas que se Fecham…

Publicado em: 20 de maio de 2019

Categorias: Destaques, Devocionais

Visualizações: 103

Tags:

Créditos: Pixabay/Nechom

É muito comum algumas comunidades cristãs atribuírem todas as portas fechadas a impedimentos satânicos. Se um emprego não deu certo tem dedo do inimigo. Se um casamento não vai bem é artimanha do diabo. Se um namoro não deu certo, ali existe ação do diabo. Se há dificuldades na obra missionária é satanás barrando o caminho. Se há problemas financeiros é o inimigo agindo. É claro que não se pode negar que em alguns casos, satanás tenta colocar barreiras em nossa caminhada com Deus para roubar a nossa paz e atrapalhar o crescimento do Reino de Deus (Lc 4.13; I Ts 2.18). Porém, nem sempre é assim. Uma porta fechada nem sempre indica ação demoníaca. Uma porta fechada pode indicar o agir de Deus visando um bem maior. José enfrentou toda a sorte de adversidades. Foi odiado pelos irmãos e vendido como escravo (Gn 37.1-36).

Mesmo recusando-se a trair seu patrão, acabou preso (Gn 39.1-23). Na prisão, interpretou o sonho do copeiro-chefe e pediu que o mesmo se lembrasse dele quando estivesse livre. Todavia, o copeiro-chefe não se lembrou de José e este mofou mais dois anos na prisão. Poderia José acusar o diabo por tantas adversidades, mas não é o que fez. Reconheceu José que Deus estava no controle de toda a situação. O Senhor foi tão bom para com José que fechou algumas portas para abrir outra muito melhor. O Senhor fez com que José se tornasse o maior do Egito depois de faraó, fazendo dele governador do Egito (Gn 50.20). Lembro-me também do apóstolo Paulo que desejava pregar na região frígio-gálata, mas foi impedido. Poderia Paulo atribuir tal impedimento a satanás, mas não foi o que aconteceu. O Espírito Santo mostrou ao apóstolo que Seu alvo missionário era a Macedônia (At 16.6-7).

Como resultado, vemos a conversão de Lídia, vendedora de púrpura, e de todos os de sua casa (At 16.13-15). Vemos também a libertação de uma jovem possessa de um espírito adivinhador (At 16.16-18). E, por fim, a conversão do carcereiro e todos os de sua casa (At 16.19-34). É por isso que amo a música do pr. Josué Rodrigues que diz que portas que se fecham são iguais as que abrem, se abertas ou fechadas por Deus”. Se algumas portas se fecharam não desanime. O Senhor tem preparado o melhor para você. Creia nisso!