O Paralítico No Tanque De Betesda

Publicado em: 3 de março de 2016

Categorias: Devocionais

Visualizações: 1662

Tags: ,

Hoje, vamos analisar a cura do paralítico do tanque de Betesda (João 5:1-16).

Mas o que tem a ver a cura do paralítico comigo?Paralítico Betesda

Sete pontos (descritos por A, B, C, D, E, F e G) muito importantes serão abordados nesta história, vejamos:

1 Passadas estas coisas, havia uma festa dos judeus, e Jesus subiu para Jerusalém. 2 Ora, existe ali, junto à Porta das Ovelhas, um tanque, chamado em hebraico Betesda, o qual tem cinco pavilhões.

  • A) A palavra Betesda significa “Casa de Misericórdia”. O que Jesus fez com o paralítico foi um exemplo de misericórdia. O paralítico não tinha capacidade alguma e pelo seu tempo de espera, provavelmente já estava conformado. Isso significa que somos totalmente dependentes da bondade e da misericórdia de Deus. Como pecadores, não merecemos nada e precisamos de Sua compaixão.

3 Nestes, jazia uma multidão de enfermos, cegos, coxos, paralíticos 4 [esperando que se movesse a água. Porquanto um anjo descia em certo tempo, agitando-a; e o primeiro que entrava no tanque, uma vez agitada a água, sarava de qualquer doença que tivesse]. 5 Estava ali um homem enfermo havia trinta e oito anos. 6 Jesus, vendo-o deitado e sabendo que estava assim há muito tempo, perguntou-lhe: Queres ser curado?

  • B) Qual a sua “doença”? Física, emocional ou espiritual. Você está emocionalmente ou espiritualmente paralisado? Da mesma forma que Jesus conhecia o paralítico, Ele nos conhece e sabe o que é melhor para nós; Ele sabe qual o melhor caminho que devemos seguir, porém, muitas vezes não nos deixamos guiar por Ele. Devemos deixar Deus tomar conta de tudo, devemos nos entregar verdadeiramente a Ele.

7 Respondeu-lhe o enfermo: Senhor, não tenho ninguém que me ponha no tanque, quando a água é agitada; pois, enquanto eu vou, desce outro antes de mim.

  • C) Frequentemente usamos desculpas para não sermos curados. O paralítico não disse “sim” ou “não”. Ele apenas deu uma desculpa. Quando paralisados por algum problema, também temos usados desculpas? São desculpas para não mudar; desculpas para não perdoar; desculpas para se vingar; desculpas para guardar mágoa; desculpas para não voltar para Deus; desculpas para não ir à igreja; etc.

8 Então, lhe disse Jesus: Levanta-te, toma o teu leito e anda.

  • D)Levanta-te”: Não seja conformado, não seja acomodado com a situação. Jesus quer que todos tenham atitudes. “Toma o teu leito e anda”: Jesus quer que sejamos íntimos com Ele.

9 Imediatamente, o homem se viu curado e, tomando o leito, pôs-se a andar. E aquele dia era sábado. 10 Por isso, disseram os judeus ao que fora curado: Hoje é sábado, e não te é lícito carregar o leito.

  • E) Jesus realizou essa cura em um sábado, o que, pela lei, era um dia em que não se podia realizar nenhum “trabalho”. Isso não quer provar que Jesus é fora da lei, mas nos mostra que Jesus é aquele que cumpre a lei com perfeição, visto que a lei foi feita a favor do homem e não para prejudicá-lo. E quanto a nós? Temos cumprido a lei com perfeição? Ou temos deixado a cultura e os costumes do mundo influenciar nossas vidas?

11 Ao que ele lhes respondeu: O mesmo que me curou me disse: Toma o teu leito e anda. 12 Perguntaram-lhe eles: Quem é o homem que te disse: Toma o teu leito e anda? 13 Mas o que fora curado não sabia quem era; porque Jesus se havia retirado, por haver muita gente naquele lugar. 14 Mais tarde, Jesus o encontrou no templo e lhe disse: Olha que já estás curado; não peques mais, para que não te suceda coisa pior.

  • F) O que poderia ser pior do que viver durante 38 anos paralisado? É claro que a morte eterna. Jesus aqui poderia estar falando da consequência de viver longe de Deus. Estamos vivendo perto ou longe de Deus? Com um novo coração convertido, nossa atitude deve ser a de viver longe do pecado.

15 O homem retirou-se e disse aos judeus que fora Jesus quem o havia curado. 16 E os judeus perseguiam Jesus, porque fazia estas coisas no sábado.

  • G) Nosso último ponto é bem interessante. Muitas vezes, ao invés de ajudar e contemplar o trabalho daqueles que cooperam para a obra de Deus só procuramos reclamar e perseguir. Apontamos vários problemas, como falta de tempo, de dinheiro, de habilidade ou de lugar. Ou ainda pode ser que o clima está ruim para evangelizar, muito sol ou chuva. Qual a sua atitude quando existe a oportunidade de evangelismo? Temos colaborado para a obra de Deus ou só enxergamos os “problemas”, reclamamos e pensamos em nós e esquecemos do próximo?

Concluindo, essa história da cura do paralítico nos traz alguns aprendizados. Temos atitude certa ou só reclamamos? Procuramos resolver as coisas ou quando alguma coisa diferente acontece não vemos o lado bom, e só procuramos os “problemas”? Somos acomodados? Somos realmente dependentes de Deus?

Que todos nós possamos sempre nos lembrar dos exemplos bíblicos e agir de acordo com a Palavra de Deus.