O Cônjuge Agressivo

Publicado em: 28 de junho de 2019

Categorias: Destaques, Devocionais

Visualizações: 56

Tags:

A lei Maria da Penha (lei nº 11.340 de 7 de agosto de 2006) tem como função aumentar o rigor das punições sobre crimes domésticos. Seu nome é uma homenagem a Maria da Penha Maia Fernandes que, durante 23 anos de casamento, foi alvo de agressões por parte de seu marido. No ano de 1983 seu marido tentou assiná-la duas vezes. A primeira com arma de fogo deixando-a paraplégica. A segunda por eletrocussão e afogamento. Após escapar das duas tentativas de assassinato, Maria da Penha tomou coragem e denunciou seu marido.

Mesmo sendo condenado a 19 anos de prisão, o marido de Maria da Penha cumpriu apenas 2 anos de prisão, mostrando o quão frágil são as leis brasileiras. É de se esperar que casos de agressão verbais e principalmente físicas, ocorram somente em lares não cristãos. Infelizmente não é isso que apontam as estatísticas. Cerca de 40% das esposas cristãs são alvos de maridos agressores que se dizem “cristãos”. 90% das mulheres que procuram organizações especializadas no apoio a mulheres vítimas de agressões são evangélicas. Segundo estudos, as características que levam alguns homens a serem agressivos são: ciúmes; machismo; sentimentos de possessividade; insegurança; desiquilíbrio mental; envolvimento com drogas e álcool; entre outros.

É inconcebível que um homem que se diga cristão, abuse física ou verbalmente de sua esposa. Infelizmente há maridos que não compreenderam o real significado do casamento. Há desconhecimento das Sagradas Escrituras e do valor da mulher no Reino de Deus. Para alguns maridos, a mulher submissa é uma figura nula, sem vez e sem voz. Homens que assim agem e se dizem cristãos, não tiveram um encontro real com Cristo. Em Gn 2.18, o SENHOR diz que faria ao homem uma auxiliadora que lhe fosse idônea.

Na Bíblia NVI (Nova Versão Internacional) a tradução é: “alguém que lhe auxilie e lhe corresponda”. A ideia no texto é de alguém que vem em auxílio do homem. Alguém que veio em socorro do homem para fazer aquilo que ele não consegue fazer sozinho. Gosto do pensamento de Mateus Henry sobre a criação da mulher: “Ela não foi feita da cabeça para governar sobre ele, nem dos pés para ser pisada por ele, mas da sua costela para ser igual a ele, sob seu braço para ser protegida por ele, perto do seu coração para ser amada por ele”. Homens! Não se esqueçam que o SENHOR criou as mulheres para serem parceiras na missão dada na obra de Deus, no mundo e na família. Maridos, tratem sua esposa com dignidade e respeito, segundo a Palavra de Deus e tenham um casamento feliz.