Lidando com Patrões difíceis

Publicado em: 24 de junho de 2019

Categorias: Destaques, Devocionais

Visualizações: 107

Tags:

Imagem de ashish choudhary por Pixabay

É sabido que o trabalho dignifica o homem. É sabido que o trabalho contribui não apenas para o sustento, mas também para o crescimento moral, intelectual e social do indivíduo. É muito bom sentir-se útil e contribuir para o crescimento de uma empresa. Difícil é quando somos desprezados, maltratados e perseguidos no ambiente de trabalho. Não são poucos aqueles que se afastam do trabalho devido a transtornos mentais. Somente em 2016, 75.000 pessoas se afastaram de suas atividades profissionais devido a problemas emocionais decorrentes do trabalho desgastante. O conflito entre chefes e liderados têm sido uma das causas mais comuns do afastamento de profissionais.

Como é desconfortante lidar com um patrão ou chefe autoritário, rude, mal educado, não aberto ao diálogo e em alguns casos, perverso. O apóstolo Pedro tratou desta questão em sua primeira carta (I Pe 2.18-25). Quando ele escreveu a carta havia cerca de 60 milhões de escravos no Império Romano. Muitos eram cristãos. Alguns trabalhavam para patrões bondosos, que tratavam seus escravos como se fossem membros da família. Outros, tratavam os escravos cristãos perversamente. Tristes com a situação, alguns escravos cristãos pensavam em retaliação ou rebelião contra o patrão perverso.

A recomendação de Pedro para os cristãos que sofriam nas mãos de patrões rudes e cruéis era que seguissem o exemplo de Cristo não pagando o mal com o mal, pois este quando ultrajado não revidou, mas colocou Sua causa nas mãos do Senhor que julga retamente (I Pe 2.24). Você está sofrendo no ambiente de trabalho? Tem sofrido nas mãos de algum chefe ou colega de trabalho por causa de sua fé em Cristo? Está difícil aguentar tantas pressões profissionais? Coloque sua causa nas mãos do Eterno. Fique firme na fé. Creia que Deus proverá o socorro que tanto necessita.