Suprema Corte do Pasquistão decide por Libertar Asia Bibi

Publicado em: 31 de outubro de 2018

Categorias: Notícias

Visualizações: 20

Tags:

Cativa desde 2009 e condenada a morte, a Cristã paquistanesa Asia Bibi conquistou hoje a sua absolvição e imediata soltura. De acordo com a decisão oficial, a acusação falhou em apresentar provas acima de qualquer dúvida. Os juízes citaram o alcorão (livro sagrado do islamismo) extensivamente e outras escrituras islâmicas, dizendo entre outras coisas que os não-muçulmanos devem ser tratados com gentileza.
Um representante da Portas Abertas, que acompanha o caso declarou: “Ficamos aliviados ao saber que a Suprema Corte Paquistanesa retirou as acusações contra Asia Bibi – acusações que eram baseadas simplesmente em sua identidade cristã e falsas acusações contra ela. Essa decisão nos dá esperança de que o Paquistão irá dar outros passos em direção à liberdade de religião e direitos humanos no país”.

Como os cristãos são minoria no Paquistão, que segue as leis islâmicas, muitos cristãos temem por retaliações, especialmente após declarações de Khadim Hussain Rizvi, líder do grupo extremista Tehreeq Labek Pakistan, no qual convoca seus seguidores, em um video, para sair às ruas e estar prontos para morrer caso o veredito fosse favorável a Asia Bibi. Parceiros da Portas Abertas na região afirmam que “esta é uma situação altamente tensa e ameaçadora para as minorias religiosas, especialmente para os cristãos, e há medo de perseguição e ataques às suas igrejas e propriedades. Portanto, apelamos ao governo do Paquistão e à Suprema Corte que considerem a ameaça feita por Khadim Rizvi. Também apelamos ao governo e às agências protetoras da lei que aumentem a segurança e assegurem que tropas militares estejam em posição para proteger a vida e as propriedades das minorias religiosas, principalmente dos cristãos e igrejas”.

A Agência France Press (AFP) relata que Asia Bibi parecia não acreditar quando ouviu que o Chefe de Justiça do Paquistão, Saqib Nisar, havia anulado sua condenação quase oito anos depois de ter sido condenada à morte. “Eu não acredito no que estou ouvindo. Vou sair agora? Eles vão me soltar mesmo? Não sei o que dizer, estou muito feliz, não acredito nisso”, disse da prisão a cristã por telefone à AFP. Com informações Portas Abertas