O Credo de Niceno

Publicado em: 25 de abril de 2019

Categorias: Destaques, Estudos de Quinta Feira

Visualizações: 98

Tags: ,

Créditos: Pixabay

Um credo é uma declaração de crença (eu creio) em algo, alguém ou alguma coisa. Por volta de 319 d.C. Ário, um presbítero cristão da igreja primitiva de Alexandria, começou a afirmar que existia somente um Deus e que Cristo era o filho de Deus, mas não Deus. Para Ário, Cristo era a mais sublime das criações, mas não o próprio Deus. Para ele Cristo era um ser imortal (tem começo e não tem fim) e não eterno (que não tem começo e nem fim) como Deus é. Ário defendia que Deus é um grande e eterno mistério, oculto em si mesmo e que nenhuma criatura conseguiria revelá-lo, visto que Ele (Deus) não pode revelar a si mesmo. Sobre Cristo, tinha a visão que Ele era inferior e limitado e não possuía o mesmo poder divino que Deus, situando-se entre o Pai e os homens.

Em parte de uma carta destinada ao Bispo de Milão do século IV, é possível ter uma boa definição da doutrina ariana: “Deus, o Pai, nascido antes do tempo e Criador do mundo era separado de um Deus menor, o Logos, Filho único de Deus (Cristo) criado pelo Pai. Este, trabalhando com o Filho, criou o Espírito Santo, que era subordinado ao Filho e, tal como o Filho, era subordinado do Pai. Segundo outros autores, para Ário, o Espírito Santo seria uma criatura do Logos (Filho).”

Esta teoria é uma grande heresia e não tem nenhuma base bíblica, uma vez que o Pai pode sim se revelar (Jo 12:28), se assim não fosse, nós nunca teríamos chegado ate Ele, pois Ele precisa se revelar a nós primeiro. Jesus não é inferior e nem limitado (Mt 28:18); Jesus é Deus (Jo 1:1; 1:18; 10:30; 14:8-10) e o Espírito Santo é Deus (At 5:3-4).

Para rebater tamanha heresia, ocorreu em Niceia o Primeiro Concílio Ecumênico no ano de 325 e deste concílio originou-se o que hoje chamamos de Credo de Niceno, se tornando o único credo cristão com reconhecimento universal (conf. Bíblia de estudo herança reformada), o credo que conhecemos hoje é diferente do promulgado em Nicéia, embora mantenha-se as mesmas raízes. Uma das diferenças principais e que cremos que o Espírito Santo se origina do Pai e do Filho e não apenas do Pai.

ABAIXO SEGUE TRANSCRIÇÃO DO CREDO DE NICENO:

Creio em um só Deus, o Pai Todo-Poderoso, Criador do céu e da terra, e de todas as coisas visíveis e invisíveis. E em um só Senhor, Jesus Cristo, o Unigênito Filho de Deus, gerado pelo Pai antes de todos os mundos; Deus de Deus, Luz da Luz, Verdadeiro Deus do Verdadeiro Deus; gerado, não criado, sendo da mesma substância do Pai; por meio de quem todas as coisas foram feitas; Aquele que por nós e por nossa salvação, desceu do céu e foi encarnado pelo Espírito Santo na virgem Maria, e foi feito homem; e foi crucificado também por nós, Sob Pôncio Pilatos; Ele sofreu e foi sepultado; e ao terceiro dia ressuscitou, segundo às escrituras; e subiu ao céu e está assentado à mão direita do Pai; e Ele retornará com glória, para julgar tanto os vivos quanto os mortos; Ele, cujo reino não terá fim. E creio no Espírito Santo, o Senhor e o Doador da vida; que procede do Pai e do Filho; que com o Pai e o Filho é juntamente adorado e glorificado; que falou por meio dos profetas.