Jesus Cristo, Deus em forma humana

Publicado em: 22 de novembro de 2019

Categorias: Destaques, Estudos de Quinta Feira

Visualizações: 94

Tags: ,

Jesus é o nosso salvador, aquele que veio em carne para que pudéssemos ter vida e a tivéssemos em abundância (Jo 10.10). Cristo é Deus encarnado, mas muitos afirmam que Cristo não é Deus, porém, a Bíblia deixa claro a Sua natureza divina (Is 9.6; Jo 1.1). Outros afirmam que Cristo é Deus, mas rejeitam a sua natureza humana, todavia a Bíblia também afirma que Cristo fez-se carne por nós (Jo 1.14) e isso era necessário para que se cumprisse o plano salvador de Deus.

Embora Cristo tivesse natureza humana, devemos lembrar que não só não pecou, mas também não podia pecar, por conta da ligação essencial entras as suas duas naturezas. Ele possuía natureza divina. E até a impecabilidade de Cristo é posto em xeque por algumas pessoas que claramente não conhecem as escrituras, uma vez que ela deixa bem claro que Ele jamais pecou (Hb 7.26; Lc 4.13)

A UNIDADE DE CRISTO

Cristo, como falado acima, possui duas naturezas (humana e divina) em uma só pessoa, Ele não adotou uma pessoa humana, nem se transformou em uma pessoa humana, Ele assumiu a natureza humana. Cristo é Deus-homem, possuindo todas as qualidades de Deus e do homem. E essa manifestação é diferente do que vemos na configuração da trindade, onde se observa a manifestação de três entidades diferentes. Em Cristo há uma só manifestação. Cristo como homem, referia-se a si mesmo como Deus e não como se houvesse uma parte sua que fosse divina (Jo 10.30).

EFEITOS DESTA UNIÃO

  1. Uma comunicação de atributos: as propriedades da natureza divina e humana agora são propriedades da pessoa e, portanto, atribuídas a ela. Desta forma, Cristo era homem de dores, conhecimento limitado, sujeito às necessidades humanas, poderoso, onisciente, onipresente etc.
  2. Uma comunicação de operações: a obra redentora de Jesus é de uma só pessoa, uma pessoa que utilizou dessas duas naturezas para atingir este objetivo.
  3. Uma comunicação de graças: Desde sua existência, a natureza humana de Cristo foi adornada com todas as espécies de dons ricos e gloriosos. Se torna objeto de oração e adoração, participa de dons do Espírito Santo, da vontade e do poder, dos quais a natureza de Cristo foi exaltada acima de todas as outras.

PRINCIPAIS ERROS ACERCA DA DOUTRINA DE CRISTO

Diferentemente do que muitos pensam, Cristo tem a natureza divina e a Bíblia mostra isso fartamente (João 1.1);

Cristo não tinha um corpo refinado, ele era humano (João 1.14);

Os arianos afirmam que Cristo não era nem homem, nem Deus. Era um semi-Deus, mas Cristo era 100% homem e 100% Deus (Mt 1.25; Lc 2.7 e Gl 4.4; Rm 9.5; Hb 1.8; Jo 1.1-3; 1.18; 20.28; At 20.28; Tt 2.13 e 2 Pd 1.1);

Alguns negam esta união, separam elas quase como se fossem duas pessoas, porém isso não é isso que a Bíblia nos mostra;

Os Euquidianos representavam o extremo oposto. Para eles as duas naturezas se fundiam numa terceira, nem humana, nem divina. Às vezes apresentavam que a natureza humana era absorvida pela divina. O conceito luterano é um tanto semelhante a este.