A Redenção

Publicado em: 16 de novembro de 2019

Categorias: Destaques, Estudos de Quinta Feira

Visualizações: 39

Tags: ,

O Plano de redenção de Deus foi instituído em Seu eterno decreto (Ef 3.11). Este plano é uma aliança (pacto) que Deus fez conosco e o cabeça dela é Cristo (1 Co 15.22). Assim como em todo pacto são necessárias partes contratantes, uma promessa e uma condição. Vejamos cada uma:

Como partes contratantes de um lado está Deus e do outro, estamos nós, os escolhidos por Deus (Sl 2.7-9). Como promessa temos a ressuscitação de Cristo para que Nele possamos ter salvação (At 13.33) e a condição foi Cristo morrer por nós, levando sobre si nossos pecados e transgressões (Hb 10.5-7).

Com isso Cristo passa a ser o fiador e o cabeça desse pacto. Ele se colocou no lugar do pecador e incumbiu-se de fazer a expiação pelo pecado (2Co 5.21). Para nós o pacto é de graça, mas para Cristo foi um pacto de obras, uma vez que ele cumpriu perfeitamente a lei (1Pe 2.22).

PROMESSAS E EXIGÊNCIAS A CRISTO

EXIGÊNCIAS

Para que Cristo cumprisse o que Lhe caberia para nos salvar foi necessário que Ele assumisse a natureza humana, nascendo de uma mulher, sofrendo das enfermidades, vivendo em meio ao pecado mas sem pecar (Gl 4.4-5), sujeitando-se a lei a fim de pagar a penalidade do pecado e merecer a vida eterna para os eleitos. Com isso Ele aplica seus méritos ao povo, regenerando-o, levando-o à conversão, dotando-o de fé e santificando-o por meio da Sua operação milagrosa (Jo 16.13-15)

PROMESSAS

O Pai prometeu ao filho que se Ele cumprisse às exigências:

  1. Lhe prepararia um corpo não contaminado pelo pecado, ungiria Ele com o Espírito Santo qualificando-O para os ofícios messiânicos (Jo 3.34);
  2. O apoiaria na execução de sua obra, o habilitaria a destruir Satanás e estabelecer o reino de Deus (Is 42.6-7);
  3. O livraria do poder da morte, e o exaltaria à mão direita no céu, entregando-lhe todo o poder no céu e na terra (Fp 2.9-11);
  4. O recompensaria pela expiação feita por Ele, enviando o Espírito Santo para regenerar, santificar instruir orientar e proteger a igreja (Jo 14.26);
  5. Todos que fossem dados a Ele, realmente iriam a Ele e de modo nenhum se perderiam (Jo 6.37);
  6. Uma multidão seria feita participante da redenção, de modo que o reino do Messias permearia todas as nações da terra (Sl 22.27)
  7. As glórias das perfeições divinas se tornariam manifestas aos homens e anjos e Deus receberia toda a glória (Ef 1.14)

PROMESSAS E EXIGÊNCIAS AO HOMEM

PROMESSAS

A promessa principal que inclui todas as outras promessas é: Eu serei Teu Deus e da tua descendência (Hb 8.10).

Essa grande promessa gera outras:

  1. A promessa de várias bênçãos temporais;
  2. A promessa da justificação, incluindo o perdão dos pecados;
  3. A promessa do Espírito Santo para a aplicação da obra da redenção;
  4. A promessa da vida eterna.

EXIGÊNCIAS

  1. Que aceitem pela fé a aliança com as promessas decorrentes;
  2. Que, pelo princípio da nova vida, se consagrem a Deus para uma nova obediência.

CARACTERÍSTICAS DA ALIANÇA

  1. É GRACIOSA: pois permite que um fiador satisfaça nossas obrigações, sendo que Ele mesmo oferece este fiador.
  2. É TRINITARIANA: Tem origem no amor eletivo do Pai, tem fiança no Filho e é realidade no Espírito Santo.
  3. É ETERNA: Por isso, Deus, quando quis mostrar mais firmemente aos herdeiros da promessa a imutabilidade do seu propósito, se interpôs com juramento (Hb 6:17).
  4. É PARTICULAR: Ela é destinada somente aos eleitos.
  5. É A MESMA EM TODAS AS ÉPOCAS: Assim como Abraão obteve ela, assim os crentes a obtém hoje, uma vez que o mediador é o mesmo.
  6. É CONDICIONAL E INCONDICIONAL: Condicional sob a fiança de Cristo, à vida de fé do pecador. Porém é incondicional pois o pecador não tem meios de a recebê-la por méritos.
  7. É UM TESTAMENTO: É um acordo entre partes, mas unilateral quanto à origem, ao fato de ser dada gratuitamente e por Deus dar o que exige.