A Natureza Essencial de Deus

Publicado em: 2 de maio de 2019

Categorias: Destaques, Estudos de Quinta Feira

Visualizações: 83

Tags: ,

PARTE 1

Deus é um ser majestoso, cheio de graça, perfeição e seus caminhos e planos são insondáveis (Rm 11.33). Dado esta grandiosidade muitos afirmam que não conseguimos conhecer a Deus pois Ele, mesmo em sua magnitude, não consegue se revelar. Será verdade? Calvino afirma que podemos conhecer sim a Deus, mas isso somente é possível porque Ele se revelou a nós primeiro. E isso somente ocorre se o Filho o quiser revelar (Lucas 10:22).
Podemos afirmar que muito de Deus está além da nossa capacidade humana de compreensão, mas podemos conhecer Deus em parte, parte que Ele revela. E este conhecimento é real, verdadeiro e suficiente para que tenhamos um relacionamento puro e íntimo com Ele (Jo 17.25-26). Este conhecimento que temos de Deus pode ser dividido em duas partes:

Conhecimento inato

Não quer dizer que já nascemos com certo conhecimento de Deus, mas que há uma semente adormecida em nossos corações, plantada pelo Pai e que assim que entramos em contato com as revelações de Deus ela começa, espontaneamente, a germinar. Isso ocorre por necessidade e não por escolha direta do homem de conhecer a Deus. Deus precisa dar o primeiro passo, sempre, uma vez que estamos obscurecidos demais pelo pecado para buscar a Deus por nossas próprias forças. Porém este conhecimento tem uma natureza muito geral e não apresenta o plano salvífico que Deus tem para nós.

Conhecimento Adquirido

Este conhecimento deriva das revelações de Deus e, também, não surge de forma espontânea, ele vem de uma pesquisa constante e consciente de nossa parte em querer aprender mais de Deus. E esta possibilidade de adquirir conhecimento de Deus e querer saber mais só é possível porque Deus plantou aquela sementinha (conhecimento inato) em nós durante a criação. Sem isso nada seria possível. Outro ponto de destaque é que o conhecimento adquirido vai muito além do inato.

Post Anterior:
Próximo post: