Ciência x Deus – Teoria da Evolução?

Publicado em: 9 de maio de 2017

Categorias: Assuntos

Visualizações: 420

Tags:

Como o universo foi criado? Deus existe? Essas perguntas atingem a mente de muitas pessoas. Vamos tentar entender um pouco de como tudo passou a existir.

Aquela tradicional figura que mostra a evolução do Macaco para o Homem é uma coisa totalmente incoerente, tanto dentro da religião, como na ciência. Vamos ver, de maneira simples e resumida, os dois pontos de vista (Científico e Cristão/Bíblico) e concluir esse pensamento sobre a evolução e sobre Deus.

Ponto de Vista Científico

Vamos analisar o ramo da ciência chamado Sistemática Filogenética, que procura estabelecer as relações de parentesco entre os seres vivos, fundamentado no evolucionismo, proposto pelo entomólogo alemão Willi Hennig (1913-1967), cuja ideia é de que todos os organismos do planeta (incluindo as espécies extintas e o homem) compartilham um ancestral comum.

De maneira resumida, segundo Hennig, os organismos compartilham características comuns próximas entre si. Em linhas gerais, caracteres exclusivos de um determinado organismo são atributos semelhantes que surgiram no ancestral comum que se modificaram com o passar das gerações.

Essa simples imagem abaixo nos faz entender melhor. O ancestral comum possui 2 pares de maxilas e cérebro tripartido. A espécie 1 se modificou tendo maxila ausente e a espécie 2 se modificou tendo membros locomotores. Essas representações são chamadas de árvores evolutivas (ou cladogramas) e mostram a história evolutiva dos grupos biológicos.

Cladogramasimple

Mas dentre as diversas árvores evolutivas, que tentam explicar o processo evolutivo, ainda faltam esclarecimentos em diversas partes. Muitos processos evolutivos se mostram incompletos, com interrogações, pois não há como justificar o processo como um tudo. Na biologia evolutiva, não se pode delimitar um ancestral com certeza. O ancestral é sempre uma hipótese, ou seja, o ancestral é sempre hipotético. Independentemente da quantidade de informações disponíveis, não somos aptos a determinar se um determinado grupo foi o ancestral de qualquer outro grupo.

Maiores informações podem ser obtidas, por exemplo, no site http://charlesmorphy.blogspot.com.br/2009/07/que-os-elos-permanecam-perdidos.html

Ponto de Vista Bíblico

A Bíblia nos mostra que Deus criou o universo todo em 6 dias e no sétimo dia descansou. Não existem acasos, pois Deus é soberano sobre tudo, toda a vida pertence a Ele. Deus é soberano, tudo está sobre o seu controle. O livro de 1º Samuel 2:6 diz “O SENHOR é o que tira a vida e a dá; faz descer à sepultura e faz subir”.

Em outras palavras, somos mordomos de Deus. Clique aqui e saiba mais sobre Mordomia .

Conclusão

Como podemos observar, várias dessas árvores evolutivas mostram suposições e deduções, ou seja, teorias que são chamadas, por exemplo, de elos perdidos. Tem muito o que se descobrir dentro da ciência, ou seja, para entender diversos processos é necessário ter fé que foi daquela maneira, pois não há provas para muitas coisas.

Da mesma forma, do ponto de vista cristão, muitas coisas não temos como provar. Alguns fatos a ciência já conseguiu provar que a história bíblica é real, outros fatos a ciência não consegue provar e temos que ter fé que foi de tal forma que Deus fez.

Não é necessário que haja uma briga entre Religião e Ciência, pelo contrário, deve haver respeito, nada deve ser imposto a ninguém. Deus existe e a ciência não pode negar a existência de Deus, então não há contradição alguma nessa parte.

Uma coisa errada é crer somente naquilo que a ciência já conseguiu provar, e ignorar assim todas as demais coisas escritas na Bíblia. Devemos crer pela fé, em tudo o que está na Bíblia, na Palavra de Deus “Sem fé, é impossível agradar a Deus” (Hebreus 11:6).

Então, como o universo se formou? Pela fé posso dizer só uma coisa, Deus, criador dos céus e da terra. Acho mais coerente ter fé em Deus do que ter fé em elos perdidos.